quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Você precisa mesmo disto? Triathlon e consumismo.

O papo pode parecer meio repetitivo, mas acredito que não podemos fazer de conta (se é que percebemos) que está tudo bem. Mas olhe bem a sua volta, você realmente (necessidade vital!!!) precisa de tudo que está vendo? Não sejamos irrealistas, lazer é parte da vida, pode incluir seu pc e sua bike... Agora, você precisa de um Pentium i5 para ler e-mails e postar no Facebook? Ou precisa de um carrão super potente (e poluidor) se o limite de velocidade é o mesmo que um mais simples atinge?? E ainda, você precisa de uma Specialized Shiv, com rodas Zipp e grupo Shimano DI se sua média horária é 34 km/h???????

É claro que se a pessoa tem dinheiro ela tem a liberdade de comprar o que quiser... Será???

Esse post é fruto de muita observação, que culminaram com minha visita a uma bikeshop, para trocar um raio de uma roda. Haviam mais de 50 bikes em manutenção, dessas, umas 40, eram dignas de Tour de France ou Ironman Hawai... mas não, são bikes que rodam na USP. Não existem tantos talentos aqui por perto....logo o que ví é apenas fruto de trabalho, de investimento, e por que não ostentação.

Bem, como perguntei no começo do post: Você precisa mesmo disto? Não, claro que não. Sabe por que? Por que boa parte do que consumimos é fruto de uma necessidade criada por outra pessoa, o dono da fabrica do produto em questão. Vamos ilustrar:

Nós precisamos de bikes de fibra de carbono??? Não!!! Não é por que um material novo, cheio de tecnologia aparece que ele é melhor que os existentes. E sabem por que??? A fibra de carbono é um Graal comercial! É bonito, resistente e descartável!!! Não permite concerto decente, a resina vai pro brejo em uns 5 anos (ela fica microfissurada e o quadro fica mole). E por que não temos bikes de aço?? Eles duram mais, são fáceis de serem concertados e são leves sim! (Tubos Reynolds 953 dão uma bike mais leve que de carbono). E esses predicados as indústrias não querem.

Com tudo é assim: celular, tv, carro,.... tudo descartável e empurrado para as pessoas. O marketing é tão bem feito, que hoje quem não pedala uma bike de carbono é um cara desatualizado, sem chances de melhorar. O mesmo acontece com os tênis de corrida... Meu, não precisamos de tênis para correr!!! Qualquer calçado macio e confortável serve (isso por que corremos sobre asfalto, um piso artificial).

E chega a ser indignante as estratégias de marketing..e elas funcionam! A Asics vende "o tenis mais rápido do mercado" e a Hyundai vende "o carro mais vendido no mercado mais exigente, os EUA". Isso é o fim da rosca!!! O tenis da Asics é mágico e o carro da Hyundai, que é coreana, faz a gente acreditar que os EUA são os melhores... Para meu! Nos EUA tem o monte de buraco e o calor do Brasil??? O tenis tá correndo por suas pernas??? Não para os dois casos.... Mas isso vende, e muito.

Falei, falei mas o que eu quero dizer com isso tudo?

Esse hábito de achar que precisamos (criamos necessidades que não são reais) e de consumir sem refletir está sendo o apogeu do capitalismo, mas vai ser o seu fim...e em breve. E o pior, vai acabar com o mundo também, por que para suprir essa sede temos que ferrar o planeta todo. Fui muito filosófico??? O preço das provas não para de subir e vão continuar enquanto VOCÊ consumir. Fui mais claro agora? Exemplo banal.....

E o pior é que trabalhamos cada vez mais para suprir estas necessidades que nem são nossas!!! Trabalhe para viver e não viva para trabalhar! Trabalhamos mais e achamos que fazemos isso por nós, por melhores salários...mas este salário maior é a maneira de deixar alguém mais rico, e com mais tempo para lazer, não você, que faz hora extra e não vê seu filho crescer.....Seu filho precisa de atenção e não de uma herança.

Por isso deixo a reflexão: Pare e pense. "Preciso mesmo de tudo isso?" "Vou usar tudo isso?" No mínimo você vai economizar dinheiro para usar em uma viagem, um livro, um jantar.... algo para você sentir, e não algo para ter.

O que mais me dói é ver o desespero das pessoas mais velhas que tentam fazer o que não fizeram quando eram mais jovens... o tempo passou, e com ele a juventude e a saúde.

A vida é muito curta e imprevisível para passarmos ela toda trabalhando....

Abrax.

PS: Uma rapidinha: Você recicla seu lixo? Todo, metódicamente? Se sim, que bom. Mas fique sabendo que se você trocar de carro 2 vezes em 10 anos, não adianta reciclar o seu lixo durante toda sua vida que o estrago que você fez na natureza será bem maior.....

9 comentários:

  1. Maravilhoso o texto, divulguei ele no Twitter e no Facebook... redirecionando aqui para seu blog...

    ResponderExcluir
  2. Só tenho uma coisa a dizer a respeito desse texto: Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Valeu galera... é um desabafo. Cada vez mais não somos nós mesmos....

    ResponderExcluir
  4. Parabéns! Inteligente e "curto e grosso"!
    Indicado no meu facebook

    ResponderExcluir
  5. aproveito e deixo meu blog por aqui:
    http://tri-na-alma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Tudo bem. Consumo consciente é altamente necessário para a própria sobrevivência do homem, mas a diferença de uma bike de carbono para uma de estrada, comum é incrivelmente grande.
    Eu já tinha uma dessas antigas há 6 anos e fui para a de carbono há 3 meses. A performance é completamente diferente. Com a antiga, por mais que eu tentasse, se passasse um grupo de ciclistas eu nunca conseguia ficar atrás do pelotão, pegando vácuo. Agora consigo dar uma acelerada inimaginável e ficar lado a lado com eles! A de carbono é muito superior.

    Quanto ao outro material de bike, é a primeira vez que ouço falar nesses "tubos Reynolds 953", se não me engano são bem difíceis de serem encontrados. Se estivessem disponíveis talvez eu comprasse.
    Acho também que nem toda tecnologia é futilidade. E pessoalmente eu reciclo, sim. O meu carro eu troquei com 11 anos, mas todo mundo já estava achando que eu não tinha dinheiro, que era carro de pobre, etc... Acho que muita coisa vai ter que mudar, mas também não vamos chegar ao fim do mundo agora, né? ... Menos!!!

    Tania Triatleta
    tania_bez@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Belo texto. Concordo totalmente. A industria cria necessidades.

    ResponderExcluir
  8. Tania,

    Vc é um exemplo raro de atleta que realmente conseguiu tirar tudo do material que tinha. Não sei onde você mora, mas aqui em Sampa, na USP, você não faz idéia de quantas ultra-bikes de mais de 8 mil rodam a menos de 30 km/h de média!

    Os tubos Reynolds só são comprados sob encomenda, você teria que procurar um frame-builder como o Igor Miyamura ou Klaus Poloni para obter uma bike destas.

    O úlitmo trecho é uma opnião pessoal. Eu prefiro imaginar um cenário de fim do mundo para ver se as pessoas se desacomodam e não deixam para amanhã o que pode ser feito hoje.

    Abrax.

    ResponderExcluir